sábado, 22 de setembro de 2012

Pragas Urbanas – Motos e Motoqueiros



 Nosso trânsito é caótico. Não há debate que mude este fato. Crescimento urbano desenfreado e sem planejamento já é quase lugar comum nas grandes capitais do Brasil. Desde crescimento natural da população até o êxodo que não terminar esvaziando as cidades interioranas devido a pouca perspectiva para os mais jovens em termos de educação e emprego.  Além, claro, de oportunidades de lazer, que as grandes cidades são pródigas em ofertar. Acompanhando o aumento da população, e seu conseqüente aumento da área urbanizada – não apenas moradias, mas tudo que cresce com a demanda provocada pelo aumento populacional, mais prédios, restaurantes, hotéis, bares, etc. E o espaço vai se apertando.
              Houve uma época em que possuir carro era símbolo de status, mas todos são unânimes em afirmar que não é mais um luxo e sim uma necessidade. Afinal, o sistema de transporte público, apesar de todo dinheiro que se tira deste mesmo público, deixa de muito a desejar. Quem pode, se afasta dele. Mas, e se eu não posso comprar um carro, que com o atual sistema de crédito esta cada vez mais fácil – registre-se, falei comprar não pagar, que ai já é uma outra história – busca a alternativa das motos. Mais baratas e fáceis de manobrar, veloz no asfalto ou em estradas mais acidentadas. Manutenção mais em conta do que um automóvel consome menos gasolina e com o detalhe de ser mais fácil de estacionar, coisa dificílima em nossas grandes cidades. Até aqui acho que me sai bem na escrita, acredito que o que registrei não é estranho para ninguém. Acredito também que a maioria das pessoas não suporta a forma como os motoqueiros se comportam no trânsito. Primeiro, estacionam em qualquer lugar, mesmo os não autorizados. Segundo andam em uma velocidade além do normal, sem respeitar pedestres. Terceiro, atravessam sinal vermelho, andam na contramão, andam no trânsito um ao lado do outro em bate-papo, arranham carros alheios, se consideram os donos da estrada. Resultado: os acidentes com motoqueiros se tornaram epidêmicos, não apenas no Brasil, mas em quase todo o mundo. Claro, sabemos que existem os motoqueiros conscientes, educados e respeitadores das leis do trânsito e da civilidade. Mas estes parecem que são as exceções.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

: MENSALÃO E O GOLPE DE 1964: AULAS DE HISTÓRIA GRÁTIS PARA OS ALIADOS DE LULA


        
      
              Partidos da base governista emitiram ontem nota em desagravo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os lideres desses partidos falam de golpe, como se a questão não estivesse sendo julgada pelo Supremo Tribunal Federal brasileiro cuja maioria dos juizes foi nomeada pelos presidentes Lula e Dilma.
              Darei aula de história grátis aos aliados do ex-presidente Lula que estão comparando a questão do mensalão às acusações que foram feitas pela oposição a Getúlio Vargas e que levaram ao seu suicídio em 1954 – fato esse sim, que impediu um golpe de Estado em gestação – e os motivos que levaram a queda do presidente João Goulart em 1964, que nos legaram um regime militar de 21 anos. Fazer política mentido já é lugar comum, mas inverter a história já vivida como exemplo para o malfeito já é abuso.                     

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Pragas urbanas: Celular






              Quem passou dos trinta anos deve lembrar de uma época romântica sem celulares, e-mails, sms e redes sociais, que dizem - aproxima as pessoas. Nem tão longe assim, dia desses. Nós nos preocupávamos em enviar uma carta que para além de seu conteúdo, deveria estar em papel adequado, escrito com boa letra, sem erros de português e envelope bonito. Havia os que extrapolavam e arrumavam desenhos, cores e cheiros para suas cartas. Quando se queria conversar um telefonema rápido para se marcar uma praça, praia, cinema, shopping, pelada ou que fosse. Se muito jovem ou compromissado, para dar satisfação do seu paradeiro os orelhões e suas fichas, trocadas posteriormente por uma invenção maravilhosa que já caiu em desuso: os cartões telefônicos, que além de seu devido valor utilitário ainda era – e ainda o são hoje em dia – fonte para colecionadores. Eu mesmo guardo os meus com motivos de prédios de várias cidades. O computador em parte substituiu tudo isso. Afinal, podemos levá-los para qualquer lugar e nos comunicar com o mundo inteiro. Para complementar os pc’s vieram os celulares. Esse é útil, mas é a doença infantil do capitalismo do século XXI. O símbolo máximo da modernidade, da comunicação, do contato fast food hiper-adolescente. Mesmo dos que já passaram de muito da adolescência como eu. E também o símbolo máximo da falta de educação, desrespeito pelo ouvido e sensibilidade alheios. Atire o primeiro celular no Rio Capibaribe – coisa mais politicamente incorreta – quem nunca se sentiu incomodado com este aparelhinho onipresente em nosso cotidiano? No cinema, a garotada já faz piada ligando uns para outros só para incomodar o ouvido alheio pelo simples prazer da gaiofa. No teatro incomoda assistência e atores. Já vi atores incorporarem a sua performance o ato de parar a apresentação para reclamar do público. Nas casas de show o indefectível isqueiro que alimentava e iluminava as baladas foi substituído por eles, mas ai é até bonitinho. Bom mesmo é no metro e no ônibus. Você quer saber quem esta brigando com quem? A mentira do empregado explicando o porque de estar atrasado para o trabalho? Saber a que horas nem sei quem vai encontrar-se com sei lá quem, em tal local? Ouvir mulher gritando com marido, marido com mulher, filho mentido para os pais, quem esta pegando quem, a última da novela ou qualquer outro assunto que não lhe interessa, além claro de ter que suportar – se você não gosta – de sertanejos e forros universitários de qualidade mais que duvidosa, bregas, swingueiras, pagodes e até aquela música que você gosta, mas que naquele momento esta lhe enchendo a paciência. Tudo isso a pleno volume, não de um único celular, mas, na maioria das vezes de vários no mesmo espaço exíguo. Se você acha tudo isso normal, ou faz parte desse grupo mais que “moderno” Então esta de boa! Como se fala hoje em dia. Mas para quem não se interessa por nada disso e apenas deseja chegar sossegado em seu compromisso. Esta é uma enorme praga urbana.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Secretaria de Educação de Pernambuco e Qualidade do Ensino


Dia desses escrevi aqui nesse blog "Claro que todos nós erramos e muito. Ninguém é obrigado a sabe tudo nem ter todas as respostas. Mas existem coisas que parecem mais displicência do que simples erros resultado de falta de instrução. Imaginamos que as pessoas em uma universidade cometem erros – claro – mas esperamos o máximo de atenção de quem cuida de centros que não são apenas de ensino, mas centros de pesquisa de alto nível. " O erro ao que parece é recorrente. Hoje se iniciam as inscrições para seleção de novos alunos para as Escolas Técnicas estaduais de Pernambuco e eis o que encontramos ao tentar fazer a inscrição. Acredito que um pouco mais de atenção é necessário, ou mais educação.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Estadio Rasunda

O Estado de Pernambuco vai receber o acervo histórico do estádio Rasunda, sede da final da Copa do Mundo de 1958, realizada em Estocolmo, na Suécia.
A escolha para receber o acervo partiu da Associação Sueca de Futebol, como uma forma de homenagear o jogador pernambucano Vavá, autor de dois gols na partida, vencida pelo Brasil por 5 a 2 sobre a seleção anfitriã. Foi o primeiro título da seleção canarinho.
O estádio Rasunda, erguido há 75 anos, será demolido no fim do ano para dar lugar a uma arena mais moderna, a Friends Arena, que já em fase final de construção.


Piso Salarial dos Professores

 
Amanhã haverá ato nacional dos professores pelo respeito ao piso salarial nacional da categoria e em defesa dos 10% do PIB para a educação até 2022.

domingo, 2 de setembro de 2012

Mobilidade urbana e privatização das ruas 2


              Tocamos em outro momento neste assunto e vemos agora em pleno período eleitoral candidatos a prefeito, a maioria dos quais foi, ou é governo em algum nível, discutindo este assunto a esbaldar. Registramos, mas um flagrante de atrapalho, desorganização e privatização das ruas. Neste caso mais um caminhão desembarcando suas mercadorias às 11:00 na rua Itanagé no Ipsep. Via estreita e de mão dupla. Onde esta a lei que regulamenta o desembarque de mercadorias nos horários de pico? Até quando isso continuará?