quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Cidade Gráfica

O design gráfico urbano em suas ressonâncias políticas, estéticas e afetivas é o tema da exposição Cidade Gráfica, em cartaz de 20 de novembro a 4 de janeiro de 2015, no Itaú Cultural, em São Paulo.
Com curadoria dos designers Celso Longo, Daniel Trench e Elaine Ramos, a mostra reúne 36 artistas e 40 trabalhos com origem em questões urbanas, na interpretação dos ritmos e das linguagens da cidade.
Além disso, em 26 de novembro, às 20h, acontece um debate com Celso, Daniel e Elaine e o também designer João de Souza Leite sobre os temas da exposição, com transmissão pelo nosso site. Confira na matéria minibiografias de todos os participantes e entrevistas com os curadores, além de uma galeria de imagens.


Cidade Gráfica
quinta 20 de novembro de 2014 a domingo 4 de janeiro de 2015 terça a sexta 9h às 20h [permanência até as 20h30] sábado, domingo e feriado 11h às 20h
 
Piso 1 e -1
Classificação indicativa: livre para todos os públicos

Entrada franca
Mesa de Debate com Celso Longo, Elaine Ramos, Daniel Trench e João de Souza Leite, segunda 26 de novembro às 20h duração: 120 minutos (aproximadamente) transmissão ao vivo pelo site

Entrada franca
– ingressos distribuídos com meia hora de antecedência


Itaú Cultural | Avenida Paulista 149 Paraíso São Paulo SP [próximo à estação Brigadeiro do metrô]
informações 11 2168 1777 | youtube.com/itaucultural | twitter.com/itaucultural | facebook.com/itaucultural | atendimento@itaucultural.org.br

Governo de Pernambuco fecha o Ensino Médio


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

terça-feira, 4 de novembro de 2014

POESIA EM PROSA OU CRÔNICA DO FOGO



“O amor é o fogo que arde sem se ver"     Luís de Camões

              Falando de fogo, o que é isso? Qual o significado desse sentimento, que se apresenta tão carnal? Na verdade, qual sentimento não é carnal, qual sentimento não acelera todo o organismo, pulsação, coração, sangue, respiração?
              Claro que desejo teu corpo. Claro que desejo tocar sua pele de forma intensa e sentir o perfume que sai de você; embriagar-me completamente com ele. Embaralhar teu cabelo em meu rosto. Beijar todo o corpo e transformar teu suor em alimento, em nutrição absoluta dos sentidos. Mapear cada parte de você como um viajante desenha um mapa, cuja bússola é meu sexo e o norte magnético o teu.
              Mas, o que é fogo? O que é isso?
              A inevitável conjunção carnal a que todos os amantes e animais de toda espécie são levados? Se a resposta for sim, o amor acabou.
              Mas o que é o fogo, além do atrito entre duas emoções. O choque profundo entre duas pessoas que se querem, se desejam, se amam, se respeitam. Que são cúmplices em uma vida que não pode ser vivida separada.
              Mas, sabe onde me corpo mais se estremece? Onde meus sentidos mais se excitam? Simplesmente quando olho teus olhos. Quando ouço tua voz. Tocar tua mão, andar ao teu lado, apenas escorar meu ombro no seu. Sentir com a ponta dos dedos a pele de teu rosto, deslumbrar com o vento em seu cabelo. Beber o perfume que teu corpo exala.          
              Tudo isso me incendeia. Faz-me querer dividir o mundo apenas com você. Tornar-se cúmplice de sua vida inteira. Dar-te colo e te mimar. Fogo é isso. E querer além do limite. É deslumbrar-se apenas em olhar para a amada.
              Fogo, fogo, fogo. Incendiemos o mundo, antes que ele seja dominado por sentimentos menores. E que as menores coisas, as menores atitudes, transformem-se em fogo para a pessoa amada.